loader image

Hotel D. Sofia
— desde 1940 —

Braga sempre foi um destino turístico de excelência e não precisamos de enumerar as mil e uma razões que o fazem ser. Braga é feita de história, é feita de pessoas e tradições. Braga vive de tudo o que a compõe. Existem casas que são o que são, e só por isso já são parte integrante do roteiro da cidade. Um bom exemplo disso é o hotel Dona Sofia. Situado no centro da cidade e em plena zona histórica e comercial, encontramos um hotel com história e que conta uma história. Esta começa com Zofva Szkutnik, de origem polaca e refugiada da II guerra mundial. Foi em Paris que encontrou um lugar para começar e nada fazia adivinhar que o destino a quisesse trazer para Portugal. Conheceu um emigrante português e com ele casou e teve o seu primeiro filho, Jacques Szkutnik. Durante o período bélico, a família voltou para Portugal e precisamente no edifício onde hoje encontramos o Hotel Dona Sofia, começaram a servir uma tigela de caldo verde, pão e um copo de vinho aos volframistas da terra. Com isto foram ganhando algum sustento e conseguiram adquirir o prédio que passou a dar-se pelo nome de Pensão Económica. Mais tarde, e com outro segmento de negócio, converteram o espaço num Hotel Residencial. Assim permaneceu até à década de 90, altura em que Jacques Szkutnik e Maria Conceição Szkutnik, filha do casal, em jeito de homenagem, reconstruíram o edifício e chamando-lhe Hotel Dona Sofia.
Tal e qual como o conhecemos, o hotel tem precisamente 25 anos. Sofreu várias transformações, mas guarda no seu íntimo todas as memórias que marcaram a sua história desde que é posse da família. Atualmente, o Hotel Dona Sofia é composto por 34 quartos, todos com camas de casal ou twin e três suítes. No que se refere ao restante espaço, ele é composto por áreas destinadas aos pequenos-almoços, bar e sala de reuniões. Ainda sobre esta última, Maria Conceição Szkutnik recorda episódios marcantes da história do hotel: “Braga sempre foi um ponto de passagem de muitos empresários e nós tínhamos clientes, donos de empresas, que traziam determinadas mercadorias e as depositavam neste lugar, para que os seus próprios clientes as viessem buscar. Muitos deles eram estrangeiros”.
A filha do casal fundador é a atual proprietária, e desde que aqui chegou nunca perdeu o vínculo ao edifício da sua família. Aqui nasceu, cresceu e desde que assumiu o novo projeto faz questão de imprimir todos os dias a identidade que o caracteriza. “É um hotel de base familiar e é isso que queremos que ele seja sempre: um hotel onde todos os nossos clientes se sintam bem e, principalmente, se sintam em casa”, nota. Não nos podemos esquecer que um hotel é sempre o primeiro cartão de visita que se tem de uma cidade e, tendo essa preocupação sempre presente, os funcionários que colaboram no hotel Dona Sofia têm um papel fundamental. “Procuramos que as pessoas que cá trabalham sejam um apoio aos nossos clientes pois são eles que, muitas vezes, ajudam os turistas sobre o que visitar na cidade, dão conselhos sobre o que ver, o que comer, enfim, tudo o que eles precisam”, sublinha.
Maria Conceição Szkutnik não podia estar mais satisfeita. Para além de ter preservado a história da sua família, fazendo do Hotel Dona Sofia uma referência da cidade de Braga, reconhece que o trabalho pela autarquia e pelos seus respetivos pelouros a nível cultural tem sido uma mais-valia para reforçar a posição do hotel nos mapas turísticos.

in Jornal Empresas  
Hotel Dona Sofia

 

2018-08-23T14:38:15+00:00