Antoniu’s
— desde 1979 —

Braga tem sem dúvida muita beleza, uma arquitetura deslumbrante, uma vida social ativa e gente de grande elegância. Parte desse incontestável brilharete tem lapela da Antoniu’s, que para quem não conhece é das casas mais famosas de Portugal no que toca ao bem-vestir para homem, eleita três anos consecutivos pelo público na casamentos.pt.
 
Esta história começa com o menino António da Freguesia de Navarra, no seu último dia de escola e a poucos dias de começar, como tantos outros da sua geração, um caminho de trabalho, de luta e esperança, na conquista de um sonho, na altura tão improvável quanto a própria vida se viria a revelar. Corria o ano de 1961.
 
Começou por trabalhar nas obras como servente e, poucos anos mais tarde, numa metalúrgica, onde viria a permanecer até à altura de ir para a tropa. No entanto, a veia estilística e empreendedora do rapaz já se fazia sentir. Tornou-se barbeiro aos fins de semana e chegou mesmo a abrir o seu próprio negócio em Palmeira. Uma fase da sua vida que faz juz ao ditado que o caminho faz-se caminhando, aos quinze quilómetros de cada vez, duas vezes por dia, cinco dias por semana, de casa para o trabalho e do trabalho para casa … a pé.
 
Em 1968, com apenas 18 anos, emigra para a Guiné, conciliando as funções militares na Companhia de Comandos Africanos com um emprego no comércio. O jovem permaneceu seis anos no Ultramar e contava provavelmente passar mais alguns não fossem as cartas do destino, por vezes insólitas e dadas com ironia, como passar férias em Portugal durante o mês de Abril de 1974. Entre incertezas e revoluções, arregaçou as mangas e rendeu-se ao destino para, em poucos dias, retornar ao caminho com um emprego promissor numa área nova, que viria a tornar-se a sua grande paixão, o comércio de pronto-a-vestir para homem, numa casa bracarense de grande prestígio, a Torres Camiseiro, na Rua do Souto.
 
Já antes tínhamos falado dessa veia promissora reservada aos que querem fazer pela vida, e assim foi, cinco anos volvidos sobre o retorno às terras de Braga, em 1979, que o Sr. António Pereira abriu a Loja Antoniu’s, na Rua Eça de Queiroz. Uma loja pequena que viria a estabelecer um novo padrão no comércio de pronto-a-vestir bracarense, com artigo exclusivo, de qualidade maior e marcas de topo. Durante os anos 80, mudou-se para as instalações atuais no Shopping Sta. Cruz 33,38 R/C e lançou-se de cabeça numa série de viagens que viria a ser decisiva para o sucesso comercial da Antoniu’s. Com uma dúzia de palavras francesas na bagagem e poucas mais italianas, o nosso intrépido alfaiate alcançou a proeza de estabelecer contratos de importação com as grandes marcas de fato cerimonial, como a Saroni, a Enzo Romano ou mesmo a Carlo Pignatelli, criando um catálogo de grande porte que reverbera ainda na atualidade, patente na afluência de nomes famosos ao espaço comercial.
 
O impacto da loja é incontornável. Um espaço imponente, seccionado com sentido, sem adereços supérfluos. Com um atendimento notável, profissional e descontraído, numa mistura que só funciona quando se tem a experiência como alicerce — trinta e nove anos partilhados pelos cinco membros da equipa, vendedores e costureiros (excepto o mais jovem, que como nos conta a brincar o Sr. Pereira, “apenas tem vinte anos disto!”). Nos andares acima, encontramos ainda as impressionantes oficinas e espaços de armazém, com fiadas intermináveis de fatos completos, de corte quase impecável, quase porque faltará sempre o ajuste final pelas mãos experientes de António Pereira, na medida ao corpo com a peça vestida. Falta apenas mencionar que a Antoniu’s, coerente com os valores que a definem e a pensar nas necessidades reais dos seus clientes, fecha as portas às 11 da noite.
 
Assim se demarca uma vida dedicada ao bem vestir, projetada numa marca vocacionada ao bom gosto, ao encontro do homem atual, moderno, relevante e multifacetado. Uma lição de coragem, esforço e dedicação, contada por António Pereira, comerciante, barbeiro e alfaiate, que nos leva a reconhecer como, por vezes, também aqueles que se encontram longe da linha de partida acabam por chegar na mesma à meta.  
Antoniu's

 

2018-08-23T14:10:59+00:00